terça-feira, 19 de novembro de 2013

O homem que calculava

            
literatura brasileira, Malba Tahan, matemática, mil e uma noites,

               O mundo fantástico da mitologia árabe mesclado as curiosidades da matemática,  assim pode ser definido o livro, o qual adquire um aspecto cada vez mais filosófico e reflexivo no aprofundamento dessas suas vertentes durante historia.
            Resumindo o livro, um comerciante árabe  se encontra com um pastor de ovelhas(Beremiz Samir) com uma incrível capacidade de fazer contagens ( a ponto de contar com precisão o numero de folhas de uma arvore em questão de segundos) e realizar cálculos, Seus dons (resultante de anos de treinamento) são postos a prova  quando aparece um grupo de irmãos discutindo a divisão de uma herança, a qual o matemático resolve com presteza e consegue até lucrar com ela.
            A partir daí em cada capitulo vemos um desafio aparentemente complexo do dia a dia ser solucionado pela capacidade matemática do protagonista, desde a simetria de uma poesia até o lucro de um comerciante,  mostrando como usar a matemática tanto para apreciar a beleza das coisas quanto para resolver os problemas diários. Esse eventos aumentam cada vez mais sua fama perante as autoridades locais, até ter que passar pelo grande desafio final de superar a avaliação de 7 sábios para mostrar ate onde vai o limite de suas habilidades.
            Escrito por Malba Tahan (pseudônimo do matemático brasileiro Júlio César de Melo e Sousa ), o texto é delicioso, contando varias curiosidades sobre o povo árabe e sobre a história da matemática. Muitas vezes com trechos usados por livros didáticos, a historia faz com que a matemática deixe de uma coisa abstrata, de símbolos estranhos e que serve apenas para passar no vestibular e mostra sua real beleza. Ajudando a multiplicar os lucros, a fazer uma decoração harmônica ou curtir ainda mais as maravilhas da natureza e da arte.
            Assim, o livro nos mostra como, inclusive como uma falta de conhecimento matemático aplicado pode resultar em falsas acusações de roubo por calcularmos errado dividas, pagamentos e trocos.
Acho que única historia que mostra igual  brilho é “Donald no Pais da Matemágica” ( http://www.youtube.com/watch?v=TphWfs_OXkU ), em que o famoso personagem da Disney é levado para os principais pontos da história da matemática,  descobrindo a beleza da música (diretamente ligada a matemática) e passa a se maravilhar com todas as proporções que ocorrem na natureza e na arte.