domingo, 3 de novembro de 2013

Orgulho e preconceito

era vitoriana, Jane Aunsten, Orgulho e preconceito, Romance, era giorgiana

                                          
Escrita no inicio de século 19, “Orgulho e Preconceito” é uma das principais obras de Jane Austen, sendo ótima para conhecer o clima sociocultural que marcou o inicio da era vitoriana (como a ascensão da carreira militar devido as guerras laponeonicas e da burguesia agrária no principio da revolução industrial) o que ajuda a compreender a origem do ambiente cultural em que vive os personagens  assim como os próprios autores  clássicos desse período, como Sherlock Holmes, as obras de Julio Verne e toda a literatura Steampunk.
         Conhecer a obra de Jane é entender melhor a base das novelas que predominam na TV atualmente, com todos os arquétipos clássicos (a ricaça que manipula tudo, as piriguetes atrás de marido rico, as lutas de ascensão e queda entre famílias ricas, o namoro proibido por questões econômicas, entre outras), além de serem as fãs de Jane Aunsten as precursoras do gênero fanfics.
        Retornando a história, o título do livro é dado pela relação conflituosa entre o milionário Sr. Darcy e a protagonista Elizabete.
         O primeiro apresenta uma série de características que considero serem as bases pra criação, um século depois, do professor Snape de Hary Potter. Um personagem obscuro, retraído, conhecido por sua arrogância e boatos maldosos de sua fortuna, que ninguém sabe como pode ser amigo de longa data do personagem, mais benevolente do livro, o Sr. Bingley ( que podemos comparar com o contato entre Snape e Dumbledore)
         Já a protagonista é bem diferente do esperado das meninas da época. Fã de literatura, mais amiga de seu pai (culto e reservado) em quase oposição à mãe (fofoqueira e chiliquenta) e de suas irmãs (que só pensam em namorar e arranjar um marido rico), excetuando, por sua irmã e confidente Jane( esta é uma pessoa simples e que busca ver só o lado bom das pessoas). Considerando sua aparência e personalidade, acredito que pode ter sido uma das bases pra outra personagem da septualogia do menino-bruxo, a menina gênio Hermione.
        A posição de luta entre os dois é quebrada quando percebem que foram levados pelos pré-conceitos que tinham da família um do outro, problemas gerados pelo excesso de orgulho nas posições que tinham perante os outros.
        Esse orgulho e preconceito permeia todos os personagens, cada um com sua carapaça mental criada para enfrentar os problemas do mundo, que não percebem que, independente de sua postura, sempre enxergarão apenas fragmentos da realidade, necessitando da humildade e da mente aberta se quiserem sair do ciclo vicioso de problemas em que estão. Isso se torna fundamental para o quase-casal Elizabeth e Darcy se libertarem disso e, desta forma, poderem salvar aqueles que amam de um amargo destino.

               Imagem: Benethom , da Wkipedia