domingo, 9 de março de 2014

A batalha do labirinto

           
John Rocco, literatura infanto-juvenil, mitologia, Percy Jackson, Rick Riordan,


             Mais aventuras mitológicas! Mais comentários engraçadas estilo “Homem-Aranha”! Mais títulos divertidos! Tudo amarrado em torno de um imenso labirinto que conecta magicamente vários pontos do planeta! Além de ter aquela que considero a mais bonita capa desenha pelo artista John Rocco.
                Após ser fisgado pelo livro “A maldição do Titã ” (http://letraseaventura.blogspot.com.br/2014/02/percy-jackson-e-maldicao-do-tita.html ), resolvi me aventurar no resto da coleção.
              Nessa nova aventura os heróis do Acampamento Meio-sangue tem que descobrir o segredo para se guiar no lendário labirinto de Creta. Na lenda, o gênio Dédalus é contratado para construir um imenso labirinto onde vivia o minotauro, para qual os gregos eram obrigados a realizar sacrifícios todos os anos, até que o herói Teseu conseguiu  matar o monstro e libertar a Grécia da tirania de Creta. Uma história clássica que muitos observam como uma fábula da luta entre poder de Creta e as outras cidades-estados gregas pelo controle do Mar mediterrâneo. E Dédalo é o primeiro inventor da humanidade, capaz de construir várias coisas e criador de ferramentas essenciais como o serrote.
                No livro, o labirinto é cercado de poder mágico combinado com a ultra-tecnologia de Dédalo. Nossos herói lutam contra o exército de Cronos pelo controle do incrível labirinto que existe em outra dimensão. 
                Percy aqui mostra seu lado pleno de líder pela primeira vez além de aperçoar seu comando sobre as águas.
                Grover,o sátiro capaz de detectar semi-deuses e controlar as forças da natureza, está em busca de Pã, o lendário deus sátiro capaz de salvar a natureza.
                Annabeth, a guerreira filha de Athena e amante da arquitetura, cujo verdadeiro poder é a imensa sabedoria que herdou de seus pais,  está ansiosa para desvendar todo o poder do labirinto!
                E temos aqui 2 outros personagens que roubam a cena:
                O próprio Dédalo, cuja história no mundo Percy é contada flashbacks que mostram a real origem do labirinto. E o filho de Hades, com o poder de invocar os mortos e descobrindo se sua real natureza é ao lado do Olimpo ou lutando por Cronos!
                Uma das coisas que mais gostei foi essa mescla de tecnologia e magia, dando um verdadeiro ar steampunk para alguns momentos da história, além de termos toda a questão do poder dos servos dos deuses estarem menos relacionado ao poder da divindade em si e mais como o próprio herói/ guerreiro vê aquele poder divino. Por fim, as chamadas divindades menores, que não integram o panteão dos 12 governantes do Olimpo, finalmente são trabalhadas,  mostrando toda a riqueza da mitologia grega ( e um pouco da mitologia romana, que não são uma só como a maioria pensa e cujas diferenças são aprofundas ao longo dos livros).