sábado, 10 de maio de 2014

Almanaque dos quadrinhos

Olá galera! Vamos agora falar sobre mais um livro sobre a arte sequencial, mostrando seus aspectos diversos no Brasil e no mundo: “120 anos de história- Almanaque dos Quadrinhos”.
histórias em quadrinhos, quadrinhos nacionais, Franco de Rosa, Almanaque dos Quadrinhos, Dicovery Publicações, super-heróis, Maurício de Souza, Turma da Mônica, 120 anos de história
Dois principais elementos me fizeram comprar estes livrinho: primeiro o nome de Franco Rosa, um dos criadores da antiga editora Mythos, cujos textos teórico eu já conhecia na introdução de diversos livros de desenho, sempre de ótima qualidade, além de apresentar um programa virtual chamado "A Arte do Desenho" em que entrevista vários autores brasileiros de quadrinhos! Em segundo lugar, o fato da mesma estrutura ter sido usada para lançar o ótimo livros sobre mangás que resenhei aqui : http://letraseaventura.blogspot.com.br/2013/12/400-imagens-manga-do-comeco-ao-fim.html
Sobre a obra em si , ela alterna falando sobre o cenário mundial (especialmente o americano) e o nacional. Nesse aspecto se destaca o capítulo 5 no qual cada década dos 120 anos dos quadrinhos é mostrada, mostrando os quadrinhos dos E.U.A e do Brasil, sempre associando com o contexto sociocultural de cada período.
Outro destaque a história do Maurício de Souza, o quadrinhista que criou um verdadeiro império e se tornou Imortal na Academia Brasileira de Letras!  Vemos desde como obras como Gasparzinho, Riquinho e até piadas de rádio influenciaram suas criações até a análise detalhada da estrutura narrativa padrão “Turma da Mônica” das histórias tradicionais do grupo ( o que inclui a Turma do Penadinho, do Piteco, da Tina, etc). Por que tudo é feito com traços grossos? Por que raramente temos qualquer ângulo aéreo nas histórias ( mesmo com personagens com Anjinho e Zá Vampir podendo voar)? Aqui você descobrirá as respostas.
Temos curiosidades dos processos de criação de vários heróis. O fato de Bruce Wayne ter sonoridade parecida com o escritor do Batman Bob Kane não é coincidência! Ou o fato do autor do Conan ser halterofilista (logo, o visual do escritor não ser tão diferente do seu personagem). Até uma reflexão filosófica sobre os motivos que levaram ao sucesso dos super-grupos em detrimento das antigas duplas de heróis.
                Claro que o livro é feito de forma simples de fácil acesso, para que qualquer um possa entender melhor os diversos estilos de quadrinhos.Se você é veterano na área e quer uma leitura leve, serve como um guia de curiosidades e para entender melhor os outros estilos. Se você está começando agora no mundo dos quadrinhos, é um prato cheio.


 Foto: http://www.discoverypublicacoes.com.br/loja/index.php/almanaque-dos-quadrinhos.html